UM PAÍS SURPREENDENTE

VÍDEO: TURISMO DE PORTUGAL

INFORMAÇÃO BÁSICA

Como é sabido, Portugal tem recebido muitas distinções nos World Travel Awards. Entre elas, o prémio de Melhor Destino Europeu em quatro anos consecutivos, entre 2017 e 2020.

A par disso, Portugal foi ainda o primeiro país a receber o selo de «Destino Turístico Acessível». Uma distinção atribuída em 2019 pela Organização Mundial do Turismo, em parceria com a organização espanhola ONCE. 

No entanto, as distinções não acabam aqui. Em 2018, Portugal foi também eleito pela Internations o país que melhor acolhe os residentes estrangeiros. Na prática, esta eleição resultou de um inquérito a mais de 13 mil expatriados em 188 países. Assim sendo, o estudo mereceu a divulgação da revista Forbes.

Entre Espanha e o oceano Atlântico, Portugal desfruta de um clima ameno e convidativo. Em boa verdade, é assim durante quase todo o ano. Em regra, tem uma média de 3000 horas de sol anuais. Com uma longa linha de costa, nos meses mais quentes as praias são enorme atrativo.

A par disso, as paisagens são variadas e surpreendentes, e o património histórico está por todo o lado. À mesa, a gastronomia mediterrânica e a doçaria de raiz conventual fazem esquecer sabores de outras paragens. E para completar, a simpatia das gentes lusitanas conquista facilmente o coração dos visitantes.

Está convencido a planear a próxima viagem? Faça as suas reservas e venha ser feliz em Portugal !

FAÇA AS SUAS RESERVAS!

ALOJAMENTO

Booking.com

VOO

GEOGRAFIA: MUITA DIVERSIDADE A POUCA DISTÂNCIA

Em tempos, o poeta Tomás Ribeiro definiu Portugal como «um jardim à beira mar plantado». A expressão ficou, até hoje. Afinal, o país situa-se à beira do oceano Atlântico, e mais de 20% do território é composto por zonas naturais. Muitas delas são classificadas e protegidas.

A par disso, em pouco mais de 90 mil km2 continentais e dois arquipélagos, o país concentra grande diversidade de paisagens. Melhor ainda, esta diversidade é acessível mediante curtas distâncias. Ou seja, rapidamente vamos de uma praia costeira a uma aldeia do interior, da planície à montanha. Num único dia, atravessamos o país de norte a sul. A juntar a esta vantagem geográfica, qualquer localidade portuguesa tem a sua riqueza histórica. Um privilégio, por ser um dos países mais antigos da Europa.

PAISAGENS DIFERENTES A UMA CURTA DISTÂNCIA

Assim, no Norte do país, encontramos as antigas províncias do Minho e de Trás os Montes, Porto e Douro Litoral. No coração de Portugal, situa-se a vasta Região Centro. A capital, Lisboa, está na região de Lisboa e Vale do Tejo e, rumando a sul, vai atravessar o Alentejo e chegar ao Algarve. A estância de férias da Europa.

Em pleno oceano Atlântico, os arquipélagos dos Açores e da Madeira completam o território português.

De um modo geral, o Norte é marcado pela paisagem montanhosa, o interior pela ruralidade. Quanto ao Alentejo, é conhecido pelas vastas planícies, e o Algarve é sinónimo de praia. Todos os anos, as praias algarvias atraem milhares de turistas vindos de todo o mundo. No entanto, esta descrição genérica não deixa adivinhar a enorme riqueza natural e patrimonial que caracterizam Portugal.

UM RETRATO DE PORTUGAL

De norte a sul de Portugal Continental, todas as 18 capitais de distrito são cidades bem desenvolvidas, e com boa qualidade de vida. Ainda assim, cada uma delas mantém os seus traços regionais. que as distinguem e enriquecem.

Contudo, é sobretudo nas pequenas vilas e aldeias que encontramos o Portugal mais profundo. Mais fiel às suas tradições.

De modo geral, o litoral concentra as cidades mais povoadas, Naturalmente, entre estas destacam-se a capital, Lisboa, e o Porto, a norte. É nestes dois centros urbanos, e também em Faro, no Algarve, que se situam os três aeroportos internacionais.

SHOPPING

Clima: mais de 200 dias de sol por ano

Portugal é famoso pelo clima ameno, com mais de 200 dias sem chuva por ano. Assim, os dias quentes de Verão convidam a ir à praia, a primavera e o outono são ideais para passeios ao ar livre, e até no inverno o sol brilha com frequência. Embora o frio se faça sentir, sobretudo entre novembro e fevereiro, as temperaturas raramente se aproximam do zero. A neve, essa, só costuma cair nas montanhas mais altas do norte do país. Ou seja, na Serra da Estrela, e algumas regiões do Norte e Centro.

MOEDA E PAGAMENTOS

Cofre notas e moedas - Imagem-de-Alexas_Fotos-por-Pixabay.jp

Em 2001, o escudo português deu lugar ao Euro. Nas cidades e vilas, pode utilizar cartão de débito ou crédito na maioria dos estabelecimentos comerciais. No entanto, muitos exigem uma despesa mínima de 5 euros para esta forma de pagamento.

Em localidades mais pequenas, o melhor é ir prevenido com dinheiro.

CONDUZIR EM PORTUGAL

Em Portugal, conduzimos do lado direito da estrada. Hoje em dia, as rápidas autoestradas cobrem quase todo o país.

No entanto, implicam o pagamento de portagem. Estas, infelizmente, não são propriamente baratas. Contudo, não se preocupe. Guarde mais algum tempo para a viagem, e opte pelos itinerários alternativos. Por um lado, poupa dinheiro, e a paisagem é mais bonita.

Além disso, não faltam motivos para parar aqui e ali, seja para beber um café ou simplesmente contemplar a paisagem.

PUB

Na maioria das portagens, o pagamento pode ser feito com cartão ou dinheiro. No entanto, em algumas autoestradas existem portagens eletrónicas. Nestas, o pagamento deve ser feito posteriormente nas estações de correios CTT ou numa caixa multibanco. Mais informação aqui 

Por fim, se quiser alugar um veículo e conduzir em Portugal, vai precisar da sua carta de condução atualizada. A par disso, tenha também consigo um cartão de crédito com plafond para cobrir o aluguer.

PUB

GASTRONOMIA: DE COMER E CHORAR POR MAIS

Cozido à portuguesa

Cozido à portuguesa

Ainda não conhece a gastronomia portuguesa? Entã0o lan0çamos desde já um aviso: prepare-se para ganhar uns quilinhos! Enquanto cá viveu, nem a Madonna conseguiu evitá-los. Mais do que isso, assumiu mesmo ter-se tornado uma «fat soccer mom» em terras lusitanas.

Como é sabido, a gastronomia é um dos grandes trunfos de Portugal. Com uma longa costa, rica em peixe e marisco, os produtos do mar marcam presença nas ementas, sobretudo no litoral. Por isso mesmo, a pesca é um hobby para muitos portugueses.

Por outro lado, no interior do país, o ex libris da gastronomia são as carnes e enchidos. Muitas famílias fazem criação de animais, em redis ou no pastoreio, para consumo próprio ou comércio. Ainda hoje, esta tradição de subsistência está bem viva.

A abrir cada refeição em Portugal, a sopa é obrigatória, seja de galinha ou de legumes. Sem dúvida, a sopa é um dos melhores hábitos dos portugueses. Para muitos de nós, é uma das coisas de que mais sentimos falta quando viajamos por outros países. Quando terminamos a refeição, por vezes pedimos um doce, mas o café não pode faltar.

VINHOS: QUALIDADE RECONHECIDA MUNDIALMENTE

Vinho-Imagem-de-congerdesign-por-PixabayPois é, Portugal é um dos mais reputados produtores de vinho do mundo. Branco, tinto, rosé ou verde, o vinho marca sempre presença a uma mesa portuguesa.

Assim sendo, no que toca a vinhos de mesa, são inúmeros os produtores nacionais. No entanto, existem no país seis regiões vitivinícolas demarcadas. Na verdade, temos a mais antiga região demarcada do mundo, no Douro.

Sendo regiões de território definido, produzem-se vinhos de mesa de grande qualidade. Por essa razão, são exportados para todo o mundo. Entre os principais, contam-se os Vinhos Verdes, do Douro, do Dão, da Bairrada, da Estremadura e do Alentejo.

A par dos vinhos de mesa, produzimos vinhos licorosos mundialmente conhecidos – Madeira e Porto – mas também outros como os de Colares e Carcavelos. São vinhos fortificados e envelhecidos, mais alcoólicos e adocicados. Uma delícia.

Como se tudo isto não bastasse, em Portugal também se produz uma das mais famosas aguardentes do mundo. É a aguardente da Lourinhã, uma das três únicas aguardentes com região demarcada do mundo. Além da Lourinhã (um pouco a norte de Lisboa), as outras duas são francesas: Cognac e Armagnac.

AINDA NÃO MARCOU AS PRÓXIMAS FÉRIAS?

Booking.com
Booking.com
Booking.com

ESPREITE O BLOGUE CROSSING PORTUGAL

MAIS ARTIGOS

FAQ – PERGUNTAS & RESPOSTAS

Qual a melhor altura do ano para visitar Portugal?

Na verdade, qualquer uma. Se quiser fazer praia, pode fazê-lo entre junho e setembro. De resto, os meses mais frios nunca são tão frios que lhe estraguem um passeio. Afinal, em Portugal o sol brilha numa média de 300 dias por ano. Contudo, se a sua intenção é sobretudo passear e estar ao ar livre, basta evitar os meses de dezembro, janeiro e fevereiro.

Existem taxas adicionais a pagar pelo alojamento em Portugal?

Sim, mas apenas nas cidades mais concorridas, como Lisboa, Porto e Faro. Cada hóspede paga um valor por noite de alojamento. Por exemplo, em Lisboa, em 2022, são 2 euros. Uma medida para compensar os municípios pela sobrecarga logística e ambiental trazida pelo elevado número de turistas. Mais informação aqui.

Em Portugal, é costume deixar gorjeta?

Em Portugal, deixa-se gorjeta sobretudo em restaurantes. No entanto, apenas o fazemos se estivermos satisfeitos com o serviço. Não é obrigatório, ninguém leva a mal se não deixar gorjeta, mas é simpático se o fizer.

Em Portugal, posso deslocar-me de comboio ou autocarro em vez de alugar um carro?

Depende das deslocações que quiser fazer, porque a linha férrea e os autocarros não cobrem todo o país. No entanto, é possível deslocar-se de comboio ou autocarro, a preços acessíveis, entre as principais cidades. Algarve incluído. Espreite o mapa de comboios aqui e a rede de autocarros expresso aqui.

PUB

HISTÓRIA: UM PEQUENO PAÍS QUE DESCOBRIU NOVOS MUNDOS

A CONQUISTA DE NOVOS TERRITÓRIOS

O território que hoje corresponde a Portugal estava, no século XI, dividido entre Mouros e Cristãos, que combatiam pela conquista de terras.

No século XI, uma parte do atual território, a norte, foi concedida pelo imperador Afonso VI de Leão e Castela a sua filha D. Teresa. Esta casou com o conde D. Henrique, da Borgonha. Este território, conhecido como o Condado Portucalense, deveu o seu nome a uma localidade – Portucale – junto ao rio Douro.

SÉCULO XII: AS FRONTEIRAS MAIS ANTIGAS DA EUROPARetrato de D. Afonso Henriques. Domínio Público.

O filho de D. Teresa e D. Henrique, Afonso Henriques, viria a estender a conquista do Condado Portucalense até Lisboa. Mais do que isso, viria também a ser reconhecido como rei. Primeiro, em 1143, pelo imperador das terras de Espanha, Afonso VII, e mais tarde, em 1179, pelo Papa Alexandre III.

É, portanto, Afonso Henriques o primeiro rei de Portugal, e a quem se atribui o berço da nacionalidade. Ainda assim, o último reduto da nação, o Algarve, só seria definitivamente conquistado no século seguinte pelo seu bisneto D. Sancho II.

UM POVO PIONEIRO NA DESCOBERTA DO MUNDO

Padrão dos Descobrimentos - Imagem stefy89 Pixabay

Durante os séculos XV e XVI, Portugal deu novos mundos ao mundo. Vasco da Gama, Fernão de Magalhães, Pedro Álvares Cabral e Cristóvão Colombo são alguns dos navegadores portugueses que pioneiros das Descobertas. Contornaram o mundo, descobriram continentes e ilhas. Nas suas caravelas, encontraram o caminho marítimo para a Índia, levaram pela primeira vez armas de fogo para o Japão, e estabeleceram postos militares e de comércio em África e no Oriente.

Entre outros produtos, a expansão comercial portuguesa movimentava ouro, marfim, malagueta, sedas, especiarias e, infelizmente, escravos. Em contrapartida, também fomos pioneiros a abolir a escravatura, em 1761.

1974: A REVOLUÇÃO DOS CRAVOS

Militares de abril com cravos

Até aos anos 70 do século XX, Portugal era uma nação espalhada pelo mundo, com colónias na Índia, Macau, Timor-Leste, São Tomé e Príncipe, Cabo Verde, Moçambique, Guiné e Angola.

Mas era também, nessa altura, um país com um regime autoritário, que viria a ser derrubado por um golpe militar. A revolução de 25 de abril de 1974 resultou em democracia e liberdade, e ainda na libertação dos territórios ultramarinos.

Como é sabido, ficou conhecida como «a revolução dos cravos» porque, no dia 25, uma vendedora de flores distribuiu cravos no Rossio. Os militares colocaram-nos nos canos das armas e os civis ao peito. Uma revolução pacífica e, sem dúvida, original.

Hoje em dia, Portugal restringe-se a um recanto na Península Ibérica. No entanto, as marcas e a língua portuguesas continuam espalhadas pelos quatro cantos do mundo.

SUBSCREVA A NEWSLETTER

Faça parte da Comunidade Crossing Portugal. Tenha acesso a conteúdos exclusivos.