A carregar Eventos

Festas da Senhora d'Agonia

TUDO COMEÇOU COM UMA ROMARIA

Sem dúvida, agosto é o grande mês de festa em Viana do Castelo. Todos os anos, a cidade enche-se de cor, gentes e sonoridades, com as Festas da Senhora d’Agonia. Assim sendo, a maior festa da região do Minho celebra as suas tradições e, com isso, atrai cada vez mais visitantes.

Com efeito, desde há muito que as gentes de Viana do Castelo são devotas da Senhora d’Agonia. Sendo uma terra de pescadores, tanto o seu sustento como as suas vidas dependem do mar. Por essa razão, elegeram a Virgem d’Agonia como protetora contra os perigos da faina.

De facto, a devoção já vinha de trás. Em consequência, em 1674, foi edificada em Viana do Castelo uma capela dedicada ao Bom Jesus do Santo Sepulcro do Calvário. Um pouco mais acima, construiu-se também uma capelinha onde as gentes locais veneravam Nossa Senhora da Conceição.

Mais tarde, em 1751, a imagem da Senhora d’Agonia entrou na capela e, a partir daí, começou a romaria para agradecer à virgem as bênçãos e pedir-lhe proteção.

De tal modo que, em 1772, uma portaria do rei D. José reconheceu esta devoção. Assim, concedeu uma autorização régia para a realização de uma feira franca pela mesma altura da romaria. Ou seja, por volta do 20 de agosto.

PRECISA DE ALOJAMENTO?

Booking.com

MUITO MAIS DO QUE UMA FESTA RELIGIOSA

Com o tempo, o que começou como uma romaria religiosa cresceu para se tornar aquilo que hoje conhecemos. Assim, as Festas da Senhora d’Agonia são hoje sinónimo de grande animação. Apesar disso, as tradições mantêm-se e, a cada ano, são reavivadas.

Durante vários dias, sucedem-se as alvoradas festivas, os desfiles de Gigantones e Cabeçudos, mas também os concertos e arruadas. Tanto em terra como nas águas do rio Lima, que ali encontra o mar.

Um pouco por toda a cidade, não faltam as danças e cantares regionais, com ranchos folclóricos, desgarradas e cantigas ao desafio. Mais do que isso, as ruas enchem-se de flores, que se conjugam com as cores garridas dos trajes tradicionais.

Por outro lado, nas águas do rio Lima, há uma procissão religiosa de barcos engalanados, que transportam a Senhora d’ Agonia.

Cartaz Senhora da Agonia 22
Fotos: Miguel Macedo e Margarida Teixeira

O DESFILE DA MORDOMIA, ONDE BRILHAM AS MULHERES, OS TRAJES MINHOTOS E A FILIGRANA

Mariana Macedo e Margarida Teixeira

Foto: Miguel Macedo

Por outro lado, um dos mais famosos momentos das festas da Senhora d’Agonia é o Desfile da Mordomia. Pelas ruas da cidade, Viana mostra toda a sua riqueza cultural e etnográfica, onde brilham o ouro e a filigrana.

Assim sendo, as mulheres vestem os trajes típicos e enfeitam-se com o ouro que pode estar na família há muitas gerações. A cada ano, as mordomas assumem um papel ativo na organização da festa, sendo preciso reunir meios para a concretizar. Do seu traje, faz parte um avental, que pode ter as armas reais, se for dos mais antigos.

Além das mordomas, desfilam as morgadas, lavradeiras e as noivas, vestidas de negro. Justamente, cada uma tem um traje a rigor, que varia entre os tons de verde, vermelho, amarelo, azul ou roxo.

Em regra, na cabeça, as mulheres minhotas usam um lenço e, pendurada nas orelhas e no pescoço, a riqueza em ouro que a família acumulou, ao longo de gerações. Uma imagem de marca da região do Minho e, para além disso, de Portugal.

pub
Go to Top