A carregar Eventos

Feira de São Mateus, Viseu

UM GRANDE EVENTO DE VERÃO

Passados mais de 600 anos desde que foi instituída a Feira de São Mateus, todos os anos a Câmara Municipal de Viseu dinamiza este evento. Durante quase dois meses, entre agosto e setembro, o Coração de Portugal ganha ainda mais vida e cor. Todos os dias, há concertos de música, atividades, demonstrações disto e daquilo, e expositores e feirantes das mais diversas áreas de negócio. Naturalmente, não faltam os comes e bebes, e muita animação.

Assim, o Campo de Viriato volta a ser o recinto do evento, e recebe milhares de visitantes. Todos os anos, esta feira costuma gerar mais de 80 milhões de euros!

Em 2022, como sempre, atuam no recinto diversos artistas. Entre eles, José Cid, Ana Moura, os Azeitonas, Toy, Gilmário Vemba e o brasileiro Luccas Neto. Como não podia deixar de ser, a música tradicional portuguesa também marca presença, com o rancho folclórico de Cinfães, os Alafum, entre outras atuações.

A par disso, o certame conta ainda com o espanhol Álvaro de Luna, os brasileiros Melim e o Kevinho e ainda o Grupo Revelação. Se quiser conhecer o programa completo, clique aqui.

Sem dúvida, vale a pena uma visita a esta feira seiscentenária que é, ao mesmo tempo, um espetáculo cultural. Afinal, não é por acaso que, em vários anos consecutivos, recebeu o prémio «5 Estrelas Regiões».

Marque já no calendário e reserve o seu alojamento com antecedência. Porque feirar é em Viseu!

PRECISA DE ALOJAMENTO?

Booking.com

A MAIS ANTIGA FEIRA DA PENÍNSULA IBÉRICA

A Feira de São Mateus, em Viseu (Região Centro), é a mais antiga feira franca de toda a Península Ibérica. Com efeito, foi instituída por uma Carta de Feira deliberada a 10 de janeiro de 1392 pelo rei D. João I. Ao longo dos séculos, manteve sempre a sua atividade, de forma regular.

No início, a feira de São Mateus decorria em maio e durava um mês. Contudo, atualmente realiza-se nos meses de verão, entre agosto e setembro.

vídeo: feira de são mateus

NOVA VIDA A PARTIR DO SÉCULO XX

No início do século XX, a Feira de São Mateus perdeu algum fulgor, embora ainda se mantivesse como um ponto de encontro da comunidade local. Na altura, era animada por espetáculos de circo e de cinematógrafo, mas pouco mais.

Mais tarde, por volta de 1914, surgiu a primeira barraca de farturas e um coreto. No entanto, só a partir de 1927 é que esta feira de cariz popular ganhou maior fulgor. Efetivamente, foi graças a um novo projeto, mais estruturado, levado a cabo pela autarquia local.

Deste modo, em 1928 surgiu então o primeiro cartaz a anunciar a Feira de São Mateus. Depois disso, a partir de 1929, a entrada no recinto do evento passou a ser paga.

pub

Folk AzoresFestival Internacional de Folclore dos Açores

UMA SEMANA DE DIVERSIDADE CULTURAL

Uma vez por ano, em agosto, o mundo junta-se na Ilha Terceira. Sem dúvida, uma das mais bonitas ilhas dos Açores. Assim, grupos de folclore reúnem-se, vindos dos quatro cantos do globo. Desde sempre, a organização está a cargo do COFIT. Ou seja, o Comité Organizador de Festivais Internacionais da Ilha Terceira. É o Folk Azores.

Para os participantes, as inscrições podem ser feitas online, no site da organização. Se quiser assistir, basta adquirir o seu bilhete. Depois, acompanhe o programa das atuações, que decorrem em vários pontos da ilha.

Durante cerca de uma semana, sucedem-se atuações de música e dança em diferentes locais. Invariavelmente, são momentos cheios de cor e musicalidade. Com efeito, cada grupo traz consigo as tradições do seu país. Em suma, esta é uma das grandes mais valias deste festival. 

PRECISA DE ALOJAMENTO?

Booking.com

O MUNDO REÚNE-SE NA ILHA TERCEIRA

Desta forma, numa pequena ilha portuguesa, situada em pleno oceano Atlântico, partilham-se os costumes de diferentes povos. Com efeito, muitos dos grupos vêm do continente, das diferentes regiões de Portugal.

Porém, outros chegam dos diferentes zonas do mundo, nomeadamente Europa, Ásia ou África. Consigo, todos trazem os seus trajos e sonoridades próprias.

Ao longo das mais de 30 edições, já marcaram presença no Folk Azores grupos de folclore vindos de países como o Chile, a Tailândia, Estados Unidos, Bulgária, Argentina, Finlândia, França, México, Taiwan, Letónia ou Polónia, entre outros. 

Por fim, na última noite, o evento culmina num grandioso espetáculo de encerramento.

Em 2019, na 35ª edição, o evento contou com 14 grupos de folclore portugueses e 13 internacionais, vindos de 14 países. Ao todo, participaram na festa cerca de 1150 artistas. É o maior festival de folclore do país, e conta com certificação internacional.

Em 2020, o Folk Açores 2020 foi cancelado devido à pandemia de COVID-19. Porém, o evento passou para o ano seguinte, entre 8 a 15 de agosto de 2021.

Para assistir ao Folk Azores, pode comprar já o seu bilhete, e reservar a data no calendário das férias.

vídeo: folk azores
pub

Festas da Senhora d'Agonia

TUDO COMEÇOU COM UMA ROMARIA RELIGIOSA

Sem dúvida, agosto é o grande mês de festa em Viana do Castelo. Todos os anos, a cidade enche-se de cor, gentes e sonoridades, com as Festas da Senhora d’Agonia. Assim sendo, a maior festa da região do Minho celebra as suas tradições e, com isso, atrai cada vez mais visitantes.

Com efeito, desde há muito que as gentes de Viana do Castelo são devotas da Senhora d’Agonia. Sendo uma terra de pescadores, tanto o seu sustento como as suas vidas dependem do mar. Por essa razão, elegeram a Virgem d’Agonia como protetora contra os perigos da faina.

De facto, a devoção já vinha de trás. Em consequência, em 1674, foi edificada em Viana do Castelo uma capela dedicada ao Bom Jesus do Santo Sepulcro do Calvário. Um pouco mais acima, construiu-se também uma capelinha onde as gentes locais veneravam Nossa Senhora da Conceição.

Mais tarde, em 1751, a imagem da Senhora d’Agonia entrou na capela e, a partir daí, começou a romaria para agradecer à virgem as bênçãos e pedir-lhe proteção.

De tal modo que, em 1772, uma portaria do rei D. José reconheceu esta devoção. Assim, concedeu uma autorização régia para a realização de uma feira franca pela mesma altura da romaria. Ou seja, por volta do 20 de agosto.

PRECISA DE ALOJAMENTO?

Booking.com

MUITO MAIS DO QUE UMA FESTA RELIGIOSA

Com o tempo, o que começou como uma romaria religiosa cresceu para se tornar aquilo que hoje conhecemos. Assim, as Festas da Senhora d’Agonia são hoje sinónimo de grande animação. Apesar disso, as tradições mantêm-se e, a cada ano, são reavivadas.

Durante vários dias, sucedem-se as alvoradas festivas, os desfiles de Gigantones e Cabeçudos, mas também os concertos e arruadas. Tanto em terra como nas águas do rio Lima, que ali encontra o mar.

Um pouco por toda a cidade, não faltam as danças e cantares regionais, com ranchos folclóricos, desgarradas e cantigas ao desafio. Mais do que isso, as ruas enchem-se de flores, que se conjugam com as cores garridas dos trajes tradicionais.

Por outro lado, nas águas do rio Lima, há uma procissão religiosa de barcos engalanados, que transportam a Senhora d’ Agonia.

Cartaz Senhora da Agonia 22

O DESFILE DA MORDOMIA, ONDE BRILHAM AS MULHERES, OS TRAJES MINHOTOS E A FILIGRANA

Por outro lado, um dos mais famosos momentos das festas da Senhora d’Agonia é o Desfile da Mordomia. Pelas ruas da cidade, Viana mostra toda a sua riqueza cultural e etnográfica, onde brilham o ouro e a filigrana.

Assim sendo, as mulheres vestem os trajes típicos e enfeitam-se com o ouro que pode estar na família há muitas gerações. A cada ano, as mordomas assumem um papel ativo na organização da festa, sendo preciso reunir meios para a concretizar. Do seu traje, faz parte um avental, que pode ter as armas reais, se for dos mais antigos.

Além das mordomas, desfilam as morgadas, lavradeiras e as noivas, vestidas de negro. Justamente, cada uma tem um traje a rigor, que varia entre os tons de verde, vermelho, amarelo, azul ou roxo.

Em regra, na cabeça, as mulheres minhotas usam um lenço e, pendurada nas orelhas e no pescoço, a riqueza em ouro que a família acumulou, ao longo de gerações. Uma imagem de marca da região do Minho e, para além disso, de Portugal.

pub

Feira do Montado, Portel

CELEBRAR O MONTADO NO INTERIOR ALENTEJANO

Com início no ano 2000, a Feira do Montado de Portel celebrou 20 anos em 2019. Depois disso, a pandemia suspendeu o evento, como tantos outros. Deste modo, a próxima edição realiza-se já em 2022, como sempre por iniciativa da autarquia.

A par disso, a Feira do Montado conta com a colaboração dos diferentes players deste importante sector da economia.

Assim, uma vez por ano, estes juntam-se em Portel, às portas do grande Lago do Alqueva. Ou seja, produtores, industriais, comerciantes, investigadores e clientes. O evento atrai visitantes de todo o país. A par disso, marcam ainda presença responsáveis políticos, como sinal da importância económica do montado.

Na Feira do Montado, encontramos todos os produtos que decorrem do Montado. Desde logo, a internacionalmente conhecida cortiça. Hoje em dia, é utilizada muito para além das tradicionais rolhas de garrafas.  Com efeito, encontramos a cortiça em forma de malas, sapatos, chapéus, e inúmeros outros produtos. Tanto de moda como utilitários.

A par da cortiça, a Feira do Montado congrega muitos outros produtos, sobretudo da gastronomia local. Desde logo, as carnes e enchidos, o mel, o azeite e muito mais. Por outro lado, como se tudo isto não bastasse, o evento conta ainda com animação musical, conferências e apresentação de tradições alentejanas.

PRECISA DE ALOJAMENTO?

Booking.com

A IMPORTÂNCIA ECONÓMICA DO MONTADO

O Montado é um ecossistema característico do Baixo Alentejo, e também de outras regiões do Mediterrâneo.

Na prática, é uma floresta construída pelo homem, para as suas atividades de agricultura, silvicultura e pastoreio. Em regra, integra árvores como o sobreiro, a azinheira, o carvalho ou o castanheiro. Já agora, sabia que, em Portugal, o sobreiro e a azinheira são espécies legalmente protegidas, desde 2001?

Contudo, mais do que isso, o Montado é uma paisagem natural classificada pela UNESCO. Com efeito, a biodiversidade desta paisagem inclui um vasto conjunto de animais e de espécies vegetais, para além das árvores.

A par disso, o Montado desempenha um papel fundamental a nível ecológico. Afinal, contribui para a retenção de água, conservação dos solos e também para a fixação de carbono.

pub
  1. Feira de São Mateus 2022

    Feira de São Mateus (Viseu)

    Agosto 4 - Setembro 21
  2. Folk Azores 2022

    Folk Azores

    Agosto 14 - Agosto 21
  3. Cartaz Senhora da Agonia 22

    Festas da Senhora d’ Agonia

    Agosto 17 - Agosto 21
Go to Top