Museu do Traje de Viana do Castelo

A COLORIDA ESSÊNCIA DO MINHO

Desde 1997 que é possível conhecer, no mesmo espaço, as tradições mais antigas e emblemáticas da região do Minho, no Museu do Traje de Viana do Castelo. Um museu que vibra com as cores garridas das roupas tradicionais, o brilho da filigrana e as artes e ofícios que marcavam a vida de antigamente. E que preserva a identidade singular do nordeste de Portugal.

O TRAJE DE VIANA, UM DOS SÍMBOLOS DE PORTUGAL

Como não podia deixar de ser, o Museu do Traje de Viana do Castelo situa-se em pleno centro histórico da cidade, no antigo edifício do Banco de Portugal. Imponente, ao estilo do Estado Novo, convida os visitantes a entrarem.

Hoje um dos ex libris da cidade, o Museu do Traje de Viana do Castelo começou por ser uma exposição temporária, em agosto de 1997, durante as populares festas da Senhora da Agonia. Inicialmente, o objetivo era mostrar e enaltecer os trajes tradicionais da região, numa altura em que a cidade estava cheia de gente. Afinal, o traje de Viana é um dos principais símbolos de Portugal, aquém e além fronteiras.

De início, a mostra esteve a cargo da própria comissão que geria as festas. No entanto, a exposição de trajes tradicionais vianenses merecia um caráter permanente. Afinal, trata-se de património imaterial de todos os portugueses.

Assim, em 2000, a autarquia assumiu o projeto, e tornou-o mais ambicioso. Os requisitos museológicos foram assegurados e surgiu, em 2004, oficialmente, o Museu do Traje de Viana do Castelo.

FAÇA AS SUAS RESERVAS

Booking.com

UM TRAJE PARA CADA OCASIÃO

O Traje de Viana existe desde o século XIX. Originalmente, era confecionado pelas próprias mulheres que o vestiam.

De modo geral, existem três tipos de traje: o de trabalho, o domingueiro e o de festa. Com efeito, este pode ser de mordoma, ou mesmo de noiva.

Apesar das diferenças, em regra, o traje típico das mulheres vianenses é constituído por saia e avental. A par disso, vestem camisa branca, colete e lenço sobre o peito. Nos pés, meias de renda brancas e chinelas. Por fim, a compor o conjunto, as lavradeiras usavam um lenço na cabeça, ou um chapéu de palha. No caso das noivas e mordomas, um véu de renda.

No que toca à confeção dos tecidos, as matérias-primas utilizadas são a lã e o linho, cultivados na região.

Tradicionalmente, este trabalho era feito de forma manual, com perícia e paciência, e os instrumentos utilizados também fazem parte do espólio do museu.

O traje de Viana mais conhecido é em tons de vermelho. No entanto, existem variantes nas formas e nas cores, consoante as freguesias da cidade. Do verde ao roxo, todas estão representadas em mais de duas dezenas de trajes expostos. Os lenços, estampados, eram feitos de seda ou de lã muito fina, e ainda hoje são um adorno comum, que pode ser adquirido nas lojas de recordações de Viana e arredores.

Para as grandes cerimónias, as mulheres mais ricas usavam trajes em veludo negro, a cor da austeridade. Ornamentado com vidrilhos, missangas e lantejoulas, criava efeitos requintados, que se estendiam ao avental, onde se inscrevia a coroa de louro e as armas reais.

O OURO EM FILIGRANA, SÍMBOLO DE VIANA E DE PORTUGAL

Todos os anos, em agosto, a cidade de Viana do Castelo fica engalanada para desfilar com toda a sua tradição. Com pompa e circunstância, celebram-se as festas da Senhora da Agonia. No evento, as mulheres saem à rua com o traje vianense. Como enfeites, ostentam com orgulho as peças de ouro de família, acumuladas ao longo de gerações. São um sinal de riqueza, mas também de amor à tradição.

Desde há muito, o ouro da antiga província do Minho é trabalhado em delicada filigrana. Hoje em dia, a filigrana é produzida sobretudo nas vizinhas Gondomar e Póvoa de Lanhoso. Justamente, uma das formas mais populares é o coração de Viana, o símbolo da cidade.

Mais do que isso, o coração de Viana é um símbolo de Portugal. Nas Festas da Senhora da Agonia, o ouro marca forte presença. Trabalhado em diferentes formas, acompanha o traje em fios, brincos e medalhões. Com orgulho, as mulheres vianenses desfilam enfeitadas com tradição.

Com efeito, os trajes vianenses desfilam pelas ruas da cidade em agosto, na Romaria da Senhora da Agonia. No entanto, durante o resto do ano, é aqui, no Museu do Traje de Viana do Castelo, que podemos ver estas tradições, em todo o seu esplendor.

SHOPPING

  • MORADA: Praça da República, Viana do Castelo

  • CONTACTO: 258 809 306 |  museutraje@cm-viana-castelo.pt

  • PREÇO: Entre 1 e 2 euros. Gratuito aos fins de semana e em algumas datas especiais.

  • HORÁRIO: Terça a sexta, 10h00 às 18h00. Sábado e domingo, das 10h00 às 13h00 e das 15h00 às 18h00.

  • ACESSIBILIDADE: O espaço está preparado para pessoas com mobilidade reduzida.

  • ATENÇÃO: Os dados apresentados podem ser alterados. Confira antes de visitar.

Quero partilhar o texto !