Trilho da Barca da Amieira

AMIEIRA DO TEJO, NISA

No Alto Alentejo, existe um dos trilhos mais encantadores que já percorremos: o Trilho da Barca da Amieira. Tecnicamente, é o PR11, que faz parte dos percursos pedestres do concelho de Nisa.

Com efeito, este é um trilho linear, que segue sempre ao longo do rio Tejo, e tem apenas  3 km para cada lado. Por essa razão, é ideal para percorrer em família. No máximo, caminham cerca de 6 km, regressando ao ponto de partida a pé. 

Inclusivamente, este é um trilho especialmente atrativo para os mais pequenos. Afinal, ao longo do percurso, há peças artísticas em forma de animais, irresistíveis para fotografar.

No final do trilho – ou no início, depende de onde começa – um passadiço, uma ponte suspensa e um baloiço. Por fim, subindo um pouco mais, encontramos o Jardim do Éden, com um Miradouro Transparente sobre o Tejo.

 

Resumo do Trilho Mistura das Águas

PONTO DE PARTIDA: A BARCA DA AMIEIRA

Antes de mais, salientamos que este é um trilho linear, e não circular. Ou seja, para voltar ao ponto de partida, terá de voltar para trás, pelo mesmo caminho. posto isto, ao contrário do folheto oficial, recomendamos que inicie o Trilho da Barca da Amieira junto à própria barca da Amieira. Porquê? Porque o seu esforço vai ser premiado na outra ponta do caminho. A par disso, recomendamos ainda que, nos dias de calor, faça o percurso de manhã, porque terá sombra na maior parte do trajeto.

Quando chegar junto à barca, há um pequeno parque onde pode estacionar, e uma vista belíssima para apreciar. Nesta zona, o Tejo é relativamente estreito, e está rodeado por montes em tons de verde. Na margem, a barca da Amieira espera por passageiros que queiram atravessar. Já agora, saiba que também pode transportar veículos motorizados.

Deste modo, é altura de partir à descoberta do bonito trilho da Barca da Amieira, e das margens do rio Tejo.

Apesar da divulgação pela autarquia de Nisa, e de umas placas no caminho, o início do trilho não estava sinalizado. Com efeito, vemos uma vereda ali à direita, mas podemos ficar na dúvida se estamos no sítio certo. Uma placa informativa daria jeito.

PERCORRER UM ANTIGO CAMINHO DE SIRGA

De modo geral, este é um trilho muito fácil de percorrer, com um piso acessível, boa parte em terra batida. Porém, este é um trilho que se destaca por uma originalidade: o caminho de sirga. Não sabe o que é? Nós também não sabíamos.

Um caminho de sirga – também conhecido como muro de sirga – é um percurso construído em pedra, ao longo da margem do rio. Designadamente, existe aqui no Tejo, mas também ao longo das margens do rio Douro.

Antigamente, quando o país ainda era escasso em estradas e ferrovia, as pessoas deslocavam-se a pé, e os barcos eram um importante meio de locomoção, ao longo dos rios. Para melhor controlar as embarcações, ou contrariar a corrente, usavam-se cordas – sirga – puxadas por animais de tração, e assim se arrastavam as embarcações, a partir de terra. Ou seja, os bois percorriam estes robustos muros, puxando as embarcações presas com cordas.

Com a evolução dos tempos, a navegação a motor e o caminho-de-ferro tornaram o transporte muito mais eficiente, e os caminhos de sirga perderam a sua utilidade original. Felizmente, muitos deles ainda existem e, tal como este, foram reconvertidos para atividades de lazer.

Se tiver mobilidade reduzida, também pode desfrutar deste percurso, embora não todo. A par da rugosidade da pedra, no caminho de sirga, há alguns ressaltos no pavimento e, no final, o passadiço tem escadas. Ainda assim, acreditamos que vale a pena ir até lá, e conhecer esta bonita paisagem.

RESERVE O SEU ALOJAMENTO

Booking.com

NUNCA É DEMAIS LEMBRAR:

Como diz o ditado, «quem vai ao mar, avia-se em terra». Seja caminheiro habitual ou estreante, já deve saber que caminhar na natureza exige certos cuidados. Como tal, precisa de material adequado e de requisitos básicos.

Assim, tenha sempre os seguintes cuidados:

  • Não vá caminhar sozinho, muito menos em alta montanha. De preferência, junte-se a um grupo experiente. Pode torcer um pé ou pior. Não arrisque, porque os azares não acontecem só aos outros. Pode ficar sem bateria para chamar ajuda ou, num local inóspito, nem ter rede de telemóvel.
  • Calce boas meias de algodão grosso, e botas de caminhada. De preferência já usadas, para ter a certeza de que são confortáveis e não lhe magoam os pés.
  • Use protetor solar, e leve consigo um chapéu.
  • Na mochila, é obrigatório ter pelo menos um litro e meio de água, e alguma comida energética. Fruta, frutos secos, barritas, sandes…
  • Nos dias mais frescos, leve consigo um impermeável. Se estiver no verão, dá jeito uma camisola que proteja a pele de um escaldão.
  • Siga o trilho e as respetivas marcas no terreno.
  • Não faça barulho. Oiça a natureza e desfrute da harmonia que ela lhe traz.
  • Respeite a natureza e não leve nada para casa a não ser fotografias e boas memórias.

SHOPPING

Altimetria Trilho da Barca da Amieira

PÉS AO CAMINHO

Folheto Oficial Trilho da Barca da Amieira.

Trilho da Barca da Amieira (formato GPX).

OBS: Embora tenhamos seguido este trilho, pode ter havido eventuais alterações no terreno. Informe-se previamente, e confirme sempre a informação oficial.